05/06/09

XLVI


vim dizer adeus
apagar todos os nomes
do cansaço de minhas pálpebras

somente me deixo transparecer
e não sei mais como se escreve
o que já não se tem tempo para escrever

venho dizer adeus




7 comentários:

gabriela rocha martins disse...

apesar da enorme beleza deste teu poema - sublime - por favor ,Maria ,não digas NUNCA ,adeus à escrita......


.
um beijo

adelaide amorim disse...

Um belo e suave poema, cheio de melancolia.

Beijos.

Ana disse...

Apagar apenas o cansaço das tuas pálpebras. Guardar todos os nomes.

Tão leve o teu poema, Maria.

vaandando disse...

belíssimo , MARIA, belíssimo!
Já andava à espera ...
Abraço
_____________ JRMARTO

Jefferson Bessa disse...

O adeus que não poderá se apagar em seus versos. "O saber como escrever" já se torna presente nesses seus versos XLVI,Maria!

Um forte abraço.
Jefferson.

clanDestino. disse...

Gosto muito deste sítio. mas o que tiver de ser , será.

D.

musicsirens disse...

Gostei muito daqui

:)

Escreves muito bem...