13/06/08

XI



caminho com a esperança
de não ser a voz de ninguém




algo menos que fogo
tem que haver
para dizer esta ardência

a palavra não pode ser algo
tão fácil
traçando lentamente espirais
sobre a água calma
ou
como um sol
cego por si mesmo


Maria Costa



4 comentários:

inatingivel disse...

Singularidades duais.
Palavra! Significados!

Muito bonito. Obrigado
Vicente

lupussignatus disse...

Respirar a escuridão...

Para que a palavra possa voltar a ser a casa do lume...

Actualíssimo!

Mateso disse...

A palavra é a sarça do coração que se plasma no líquido da vida.
Lindo !
Bj.

Henrique Dória disse...

Estás a escrever lindos poemas, Maria.Beijos