04/01/09

XXXIII


pressinto a curva oculta do planeta
a contraluz das mãos que agito
repletas de pó sangrento

olhos mudos,

frios,
ouvidos na morte sem imagem


os homens nada sabem da Vida


Maria Costa

5 comentários:

MPereira disse...

Tenho acompanhado com deleite e muito prazer, estes cantos,em silêncio,talvez,por não me considerar á altura de comentar,e estranho tão belas palavras,permanecerem tão sós,nesta blogosfera,onde se incensam,textos,sem qualidade
vou continuar á acompanhar

Rose disse...

SIM!
"os homens nada sabem da Vida"!...Falta-lhes um pouco de poesia...
Carinho,
Rose

d'Angelo disse...

O arcano se sobrepõe ao lírico, o jardim se torna momentaneamente sombrio: que espinho terá ferido as mãos que antes desenhavam pétalas?

gabriela rocha martins disse...

um entrar em pleno
em 2009


belíssimo ( sem surpresa )


.
um beijo

inatingivel disse...

e só aqueles que nada sabem
tem consciência do breve existir.

beijos